CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
ContatoContato
LinksLinks
Paulo Vasconcellos
Contos, Crônicas e Poesias
Textos


Estou cantarolando algumas músicas
Que antes eram chamadas de modinhas
E sendo assim
Visto-me a caráter para assistir ao show
Sem nem saber qual artista vai se apresentar
O importante é a música que ele vai cantar
Se por acaso for das que eu gosto
O aplaudirei sem parar
Estou deveras satisfeito com o momento presente
Poesias, versos e prosas
Voam livremente
Por onde nem se possa imaginar
Volto para a minha casa
E encosto-me no parapeito do alpendre
Ponho-me a pensar
Será se conseguirei letrar uma música?
A minha imaginação passeia pelas notas musicais
É melhor que eu continue a cantarolar
Porque não sou cantor
Sei mesmo é poetar
Prefiro relembrar o tempo das modinhas
Quando sentávamos em um banco da praça
E não nos preocupávamos com a melodia
Que tentávamos entoar
Sei da minha capacidade
Sei também que os artistas são criativos
Acreditem: mesmo assim gosto de cantar
Peço sempre a Deus
Que conserve a minha inteligência
Sou um poeta popular
Graças ao Grande Criador
Vou continuar poetando
Usando o meu linguajar
Dotado de inspirações
Adjetivadas por termos que possam me consagrar
Brilho que me contempla
Pensamentos que são multiplicados
Harmonia aliada ao destino
Com a poesia quero voar
Declamando o que for preciso
Andar por todos os caminhos
Estar bem acompanhado
Nunca ir sozinho
Para que tudo seja compartilhado
Conjugando vários verbos
Inclusive o verbo amar.


**Composição poética construída em 12/04/2018. Publicação inédita aqui neste espaço.

Edição e Digitação: Maikon Douglas 
Imagem: Divulgação 
Paulo Vasconcellos
Enviado por Paulo Vasconcellos em 06/07/2018
Alterado em 06/07/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários