CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
ContatoContato
LinksLinks
Paulo Vasconcellos
Contos, Crônicas e Poesias
Textos


Eu bebo tudo o que escrevo
Entornando a taça da poesia
Que traz o vinho da delicadeza
Molhando as bordas do meu coração
Inebriando e me causando alegria.
Eu bebo as palavras do poeta
Muitas delas, cheias de sedução
Estou alimentado pelas regras da sinergia.
Eu bebo o cálice do licor poético
Que me embriaga de ternura
Conduzindo-me a viajar nos sonhos
Configurados de diplomacia.
Eu bebo o copo da cachaça
Verbalizada por frases adocicadas.
Eu bebo a água monossilábica
Banhando-me de termos para formar hiatos
Numa composição lírica e consensual.
Eu bebo o mel da fonética
Sentindo o seu cheiro prosaico
Misturando versos e adjetivos
Acalorando e amadurecendo cada desejo
Equilíbrio na lucidez do prosador
Que sintetiza a sua dialética.

Publicado na Antologia "Versos achados numa noite perdida" da CBJE
Edição: Maikon Douglas
Foto: Divulgação
Paulo Vasconcellos
Enviado por Paulo Vasconcellos em 02/05/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários